Antigamente, os banheiros eram ambientes desprezados, que ficavam nos fundos das casas. Quanto mais escondido, melhor. Com o passar do tempo, eles foram valorizados até ganhar o status que têm hoje. Nessa evolução, as dimensões aumentaram e os materiais usados são cada vez mais sofisticados. Os mais suntuosos foram rebatizados de sala de banho. Mais espaçosos, aconchegantes e melhor equipados, os banheiros viraram ambientes confortáveis e luxuosos, onde se pode relaxar do estresse diário. Segundo o arquiteto Allan Feio, a mudança de conceito no banheiro começou com a classe média, que passou a prestar mais atenção nos espaços e a dedicar mais cuidados e dinheiro na elaboração destes ambientes, mas ganhou aficcionados em especial nas classes mais altas, que possuem mais espaço físico para a instalação, além de mais recursos disponíveis para investir em peças de luxo. “Assim, acabam criando espaços mais elaborados. Para se ter uma idéia da mudança, uma sala de banho deve ter no mínimo 5 m². Nos apartamentos e residências de alto padrão, podem-se encontrar banheiros de até 20 m², maiores que muitos quartos”, descreve. Hoje o conceito de sala de banho está cada vez mais difundido. Os mais modernos acabaram reeditando os banhos romanos antigos que eram usados como uma forma de lazer. A banheira, desejo de consumo dos brasileiros, é um dos astros principais de uma sala deste tipo. Como existem vários modelos e tamanhos (alguns abrigam até seis pessoas), é possível criar inúmeras composições. “Há banheiras que podem ser acionadas de qualquer lugar, através de um computador de mão, para regular a temperatura da água, chegando a custar até R$ 20 mil. Há ainda a possibilidade de instalar um ofurô para relaxamento”, explica Allan. Hoje, a estética, o luxo, o conforto e a tecnologia são itens fundamentais em uma sala de banho com bom padrão. “Os ambientes passaram a exibir sofisticação, alta tecnologia e design contemporâneo. E mais: os fabricantes desenvolveram linhas de louças e metais sanitários criados por designers conceituados como Philippe Starck, que além da estética e design priorizam o conforto dos usuários”, cita o arquiteto. Os avanços da tecnologia, inquestionavelmente, também fazem as pessoas usufruírem melhor dos banheiros, seja através da cromoterapia nas torneiras e nos chuveiros ou nos novos designs em vidros e em corian, e até na utilização das telas de LCD nos banheiros e nas salas de banho.

Tecnologia a favor do luxo
A tecnologia desenvolveu materiais específicos para banheiros como piso com aquecimento, espelho com sistema antiembaçante, torneiras com sensores de acionamento e chuveiros baseados no princípio da cromoterapia (com luzes de sete cores, podendo custar até R$ 2,5 mil). Isso mesmo! O luxo está presente em peças como torneiras banhadas a ouro, que chegam a custar R$ 8 mil ou metais com detalhes em cristais swarovski. Há casos em que o preço de um banheiro ultrapassa o valor de uma casa ou apartamento, beirando os R$ 150 mil. Com a grande demanda e valorização dos banheiros, as marcas precisaram investir pesado para transformar seus produtos e adequá-los ao novo conceito. Antes, o comum era encontrarmos o tradicional azulejo branco ou aqueles decorados que formavam figuras. Hoje, a variedade de revestimentos é infinita, com peças retificadas, com acabamento polido ou natural, com detalhes em vidro, cristais e aço. Além de revestimentos cerâmicos, existem ainda mármores, granitos, pastilhas cerâmicas e de vidro, porcelanatos e vidro temperado. Para criar a atmosfera ideal, a escolha do revestimento é de fundamental importância. Hoje, basicamente, os elementos que compõem os banheiros permaneceram os mesmos, com pequenas variações (box, chuveiro, pia, sanitário, bidê e mais alguns adereços). Porém, apesar das funções de uso se manterem praticamente as mesmas, a decoração deste ambiente conta com muita tecnologia, funcionalidade e requinte. “O que mudou foram os materiais empregados na confecção destes produtos e a distribuição física destes. É possível perceber a divisão do ambiente em três áreas: lavatório, vaso e banho”, explica Allan. Para que o espaço fique mais confortável ainda, Allan sugere que a área de lavatório tenha duas cubas, para garantir a utilização simultânea – um alívio para muitos casais. As cubas podem ser de louça, resina, vidro, mármore ou granito, e os modelos mais usados são os de apoio (que ficam sob a bancada) ou de seimiencaixe. As bancadas podem ser revestidas com os mesmos materiais, além de MDF, madeira e materiais mais modernos como corian e silestone. “A área de banho pode ganhar também dois chuveiros ou até dois boxes separados. O modelo que está em alta é o que sai do teto. Alguns casais preferem desenvolver banheiros individuais, um para cada um. Geralmente estes ambientes têm uma área em comum, para o encontro dos dois, como uma banheira”, indica.

Elementos em prol da sofisticação
Objetos que antes eram restritos a outros ambientes também invadiram os banheiros, como lustres pendentes, televisores de LCD, aparelho para música ambiente, jardins internos, ar-condicionado, esculturas, computador e móveis. Algumas salas de banho mais elaboradas possuem espaço para cabeleireiro, maquiagem e manicure, inclusive com cadeiras profissionais. Há ainda móveis para relaxamento como recamier, poltronas e puffes, que dão graça ao espaço. Alguns banheiros mais sofisticados podem ter paredes e pisos revestidos com madeira, MDF e laminados. O papel de parede e tecidos também são muito usados, sempre nas áreas secas, nunca nos boxes. “Outra grande preocupação deve ser com a iluminação. O ideal é unir luzes funcionais (principalmente para a área do lavatório) com iluminação cênica e agradável, ideal na hora de desfrutar da hidromassagem”, recomenda Allan.

 

Publicado na Revista Diário
0 respostas

Deixe uma resposta

Want to join the discussion?
Feel free to contribute!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *